sábado, 28 de outubro de 2017

Orações subordinadas adjetivas

Orações adjetivas são aquelas que equivalem a um adjetivo. São sempre introduzidas por um pronome relativo.
O jornal, que ainda ninguém leu, está aqui.
O jornal que você trouxe  é velho.
As duas orações em itálico  modificam o termo jornal, que é um substantivo, exercendo, portanto, o papel de adjetivo.

1.      EXPLICATIVA- modifica um termo de sentido amplo e genérico, enfatizando a sua maior característica, ou uma de suas características.  Acrescenta uma informação, esclarece um termo anterior. Vem sempre entre vírgulas e, geralmente, pode ser retirada sem prejudicar o sentido do período.
Brasília , que é a capital do Brasil ,  foi fundada em 1960.
Aquele moço,  que era astronauta, gosta de admirar as estrelas.
O lírio , que é branco, é uma linda flor.
O rio Volga, depois de percorrer o território russo, deságua no mar, que não passa de um grande lago salgado.

2.      RESTRITIVAS- apenas restringem o sentido do termo que elas modificam. Esse tipo de oração não pode ser retirada do período sem causar problema de entendimento.
O jornal que você trouxe  é velho.
Há dentro de todo o homem uma tragédia que ele ignora.
O aluno que estuda  aprende.
            São pronomes relativos :
Que  O livro que comprei é bom.
Quem : Darei o prêmio a quem merecer.  ( aquele que merecer)
Cujo: Li uma história cujo o autor é desconhecido

Onde :  A casa onde ele mora  é espaçosa.

Orações subordinadas substantivas

As orações completivas são as que exercem a função de um substantivo. São introduzidas pelo conectivo que / se.
André precisa da ajuda de seu pai.     Objeto indireto
André precisa  de que seu pai  o ajude  .O objeto indireto foi transformado em oração

Quero a volta de tia Zélia.   Quero que tia Zélia volte.  Subordinada substantiva objetiva direta

Tenho dúvidas da vinda dele hoje.    Tenho dúvidas de que ele venha hoje.
                         Compl. Nominal                                Or. Subord. Substantiva completiva nominal


Classificação das orações substantivas

a)      SUBJETIVA – exerce a função de sujeito.       
 É preciso sua colaboração. 
É preciso que você colabore.                                  ALGO é preciso.
O verbo, na oração principal, aparece na 3 ª pessoa do singular e não admite sujeito.
É possível que ele aceite.                   ALGO é necessário.= É necessário  que o menino saia.
É importante que todos os alunos apresentem sugestões.
(Para você identificar a oração subjetiva, procure o sujeito da oração principal, se não encontrar significa que a segunda oração é o sujeito da 1 ª.)

b)     OBJETIVA DIRETA - exerce a função de objeto direto.
Ele comunicou sua partida.    Ele comunicou que  partiria.               Ele comunicou ALGO
Ele desejava que os companheiros colaborassem na pesquisa.
Ouvíamos que o trem passava.
Desejou que a festa não acabasse mais.

c)      OBJETIVA INDIRETA - exerce a função de objeto indireto. O verbo da oração principal vem acompanhado de preposição.
Não me oponho a que participes do campeonato.               Não me oponho A ALGO
Ela precisava de que todos colaborassem
Tudo depende de que estejas bem preparado.

d)     COMPLETIVA NOMINAL – exerce a função de complemento nominal. As últimas palavras da oração principal são adjetivo/ substantivo mais a preposição.
Tenho certeza de que é tarde.                    Tenho certeza DE ALGO.
Temos esperança de que nosso teatro seja aplaudido.
Meu avô teve a ilusão de que a guerra terminaria naquele verão.
Vivia na esperança de que o filho mudaria.

e)      PREDICATIVA: exerce a função de predicativo. A ultima palavra da oração principal é um verbo de ligação.
A verdade é que ele voltou.
O ideal seria que Pedro voltasse.
Minha intenção é que vocês aprendam.

f)       APOSITIVA - exerce a função de aposto. Geralmente vem separada pela oração principal pelos dois pontos.
Só tenho um desejo: que sejas feliz.
Ele disse apenas isso: que estudara muito.

Nossa vontade é esta: que os convidados fiquem satisfeitos.
RESUMINDO
Período simples
Período composto
VL+ predicativo + sujeito
Seria necessária a presença de todos.
VL+ predicativo + oração subordinada substantiva subjetiva
Seria necessário que todos estivessem presentes.
v. na voz passiva* + sujeito
Será anunciado o seu retorno.
v. na voz passiva + oração subord. Subst. Subjetiva
Será anunciado que você retornará.
v. unipessoal* + sujeito
Na listagem, não consta o meu voto.
v. unipessoal + or. Subord. Subst. Subjetiva
na listagem não consta que eu votei.
Sujeito + VTD+ OD
Ela admitiu o erro.
Sujeito + VTD + or. Subor. Subst. OD
Ele admitiu que errou.
Sujeito + VTI + OI
Você duvida de nossa sinceridade?
Sujeito + VTI + or. Subor. Subst. OI
Você duvida de que sejamos sinceros?
Sujeito + VL + predicativo
Nosso medo era sua reação agressiva.
Sujeito + VL+ or subord. Subst. Predicativa
Nosso medo era que você reagisse agressivamente.
Sujeito + verbo + nome incompleto + CN
Eles estão confiantes na vitória.
Sujeito + verbo + nome incompleto + or. Subord. Subst. CN
Eles estão confiantes em que vencerão.
Sujeito + verbo + nome + aposto
Nos lhe pedimos uma coisa: sensatez.
Sujeito + verbo + or subord. Subst. Apositiva
Nós lhe pedimos uma coisa: que você seja sensato
Em relação ao quadro:
1º * nessa estrutura, o verbo pode estar na voz passiva analítica ou na pronominal (será anunciado, estava definido/ comenta-se, discutiu-se...)
2º * verbos unipessoais são verbos que ocorrem na terceira pessoa do singular, seguidos pela conjunção integrante que/se. Os mais comuns são: convir, constar, importar, parecer, acontecer, interessar, suceder.
A preposição que inicia as orações OI e CN pode ocorrer subentendida no período. Eu me lembro (de) que ele esteve aqui, tenho confiança (em) que você nos ajudará.
A oração apositiva pode ocorrer após dois pontos ou entre virgulas. Meu sonho, que eles voltasse, não se realizou.
A conjunção que relaciona a oração subordinada substantiva à oração principal denomina-se conjunção subordinada integrante (que/ se)

Orações subordinadas adverbiais

Orações subordinadas são aquelas que dependem sintaticamente e semanticamente uma das outras, sendo que uma delas se impõe como principal.
Os pais sentem-se oprimidos por causa da exigência dos filhos.  P. simples – Or. absoluta
Os pais sentem-se oprimidos  porque os filhos exigem demais deles. P. composto por subordinação

A circunstância de causa é expressa através de uma oração, é uma oração dependente e funciona como advérbio.
            Portanto, as orações subordinadas adverbiais são aquelas que expressam uma circunstância da oração principal exercendo a função sintática de adjunto adverbial.

Classificação das orações subordinadas adverbiais


a)     Causal :
O torcedor  ficou sem voz, por uma razão (causa)   O torcedor gritou demais durante o jogo.
O torcedor ficou sem voz porque gritou demais durante o jogo.
Os filhos preocupam os pais  porque são  tiranos.
O aluno vibrou porque a nota foi excelente.
Porque, visto que, como, uma vez que, já que = por uma razão

b)    Conseqüência : consecutiva
O torcedor gritou demais durante o jogo ( com uma conseqüência)
O torcedor ficou sem  voz.       O torcedor gritou  tanto  durante o jogo que ficou sem voz.
Os  filhos exigem tanto dos pais  que se tornam verdadeiros tiranos.
De sorte que, de modo que, sem que, senão, tão ( tanto, tamanho, tal) = com uma conseqüência

c)     Condição ( condicionais)
Eu irei  à festa no final de semana com uma condição.
O tempo está bonito.
Irei à festa no final de semana  se o tempo estiver bonito.
Se não atendemos às exigências dos filhos,  deparamos com caras feias, emburradas.
Se, caso, sem que, se não, uma vez que, a não ser que, exceto se, a menos que, contanto que, salvo se =  com  uma condição

d)    Comparação( comparativas)
O navio afastava-se lentamente  em comparação com algo.
Uma enorme tartaruga se afastava.
O navio afastava-se lentamente  como uma enorme tartaruga se afastava.
O navio afastava-se lentamente como uma enorme tartaruga.
Os jovens são consumistas  como os adultos. ( como são os adultos)
Como, mais...do que, menos.... (do) que, tão... como, tanto...quanto, tão...quanto, assim como= em comparação com algo

e)     Conformidade  ( conformativas):
Eu farei o tratamento de conformidade com algo.  O médico determinou.
Eu farei o tratamento  conforme o médico determinou.
Fiz a pesquisa  segundo as orientações da professora.
Conforme, consoante, como, segundo, que (conforme) = de conformidade com algo

f)      Concessão  ( concessivas) :
Dá uma permissão, concessão, mas coloca um obstáculo.
O turista conseguiu embarcar apesar de algo.  O turista perdeu o passaporte.
O turista conseguiu embarcar  embora tivesse perdido o passaporte.
O turista perdeu o passaporte, mas conseguiu embarcar. ( a concessiva pode se transformar em coordenada   adversativa)
Estudei mas fui reprovada.    Embora tivesse estudado fui reprovada.
Consome-se muito neste país, embora  os tempos sejam de crise.

Embora, ainda que, mesmo que, se bem que, posto que, conquanto, apesar de que = apesar de algo

g)     Proporcionalidade :  (seqüência temporal) ( proporcional)
A tristeza de Vera aumentava à proporção de algo.  Os dias irem passando.
A tristeza de Vera aumentava à proporção que os dias iam passando.
À medida que o tempo passa,  os jovens tornam-se cada vez mais independentes

À proporção que, à medida que, quanto mais, tanto mais, ao passo que = à proporção de algo


h)     Finalidade : idéia de fim, objetivo, meta  (final)
Tudo se fez para um certo fim. A festa ser um sucesso.
Tudo se fez para que a festa fosse um sucesso.
Para que  não sejamos “politicamente incorretos”, nós, pais suportamos uma pressão incrível.

Para, para que, a fim de que, de modo que, de forma que, de sorte que  =  para um certo fim


i)      Temporal
O público deixou  o recinto em certo momento.  O espetáculo terminou.
O público deixou o recinto quando o espetáculo terminou.
Quando o dia das crianças se aproxima , aumenta consideravelmente a venda de brinquedos.

Quando, enquanto, assim que, logo que, sempre que, depois que, desde que, até que, mal, apenas, sem que = em um dado momento

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

João Simões- 231

Olá, alunos da 231...
Este é o espaço para que vocês coloquem suas questões.
A atividade era:
Fazer uma entrevista com João Simões Lopes Neto, onde as repostas fossem fragmentos dos contos lidos em "Contos Gauchescos".
Aguardo...

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Sapo Comilão

Para a história do sapo comilão, todos ganharam a cara do sapo, sendo que os maiores desenharam a careta. Depois ganharam uma língua de sogra para fazerem de língua.
O objetivo é que todas as crianças cheguem em casa e possam contar a história para a família.

As jabuticabas

Para a leitura do livro "as jabuticabas",  foi feita uma peruca de Emília para cada turma.
Os alunos levam a peruca para casa, contam a história para a família e no outro dia trazem de volta até que passe por todos os alunos.

sexta-feira, 31 de março de 2017

Respostas

Pessoal...
O objetivo do blog não é dar respostas...
É um blog para alunos...
Como sempre digo: "Pensar... dói"!